Não há motivo

As pessoas acham que há muito a se viver, não há. Não há motivo, não há grande plano, não há nada demais, nenhum significado gigante ou algo maior que nós mesmos. A vida é simplesmente um amontoado de momentos, alguns que se repetem, alguns outros que só acontecem uma vez. Se houvesse um motivo para nossa existência, saberíamos. Quem entende que não há motivo, aproveita essa vida da maneira que lhe convêm, sem se importar se sua maneira interfere na vida de alguma outra pessoa. Os dogmas e paradigmas que foram implantados em tanta gente servem para isso, criar lobos e cordeiros, e deixar que essa piada que chamamos de existência se repita até o momento que iremos causar nossa própria extinção. Não há para que estar aqui, nesse momento, lendo isso, ou mesmo eu escrevendo isso. É uma grande piada, tudo que acontece, todo esse show de fingimento. Fingir ser adulto, fingir ser alguma coisa, fingir existir. Fingir estar feliz, fingir ser bom… Os budistas estavam certos, nada existe.