Sociedades virtuais, o que pensar delas?

Me peguei jogando um jogo offline que mostrava os records e melhores tempos de jogadores que estavam jogando no momento, ainda que eu não tivesse escolhido em lugar algum alguma opção sobre isso. Claro, não é uma coisa para se ter medo, mas estive pensando…

Sociedades onlines são interessantes, unem as pessoas como se não houvesse espaço, alcançamos uma espécie de onipresença, podendo estar em vários lugares virtuais ao mesmo tempo. Há algum tempo atrás costumava jogar mmorpgs, jogos de rpg onde muitas pessoas, as vezes milhares, estão jogando ao mesmo tempo. Mas simplesmente cansei. Cansei porque ao invés de encontrarmos aquela coisa boa de união e novidade que costumávamos encontrar a alguns anos atrás, em comunidades online de rpgs como Ragnarok (sim, eu sei que é difícil pensar que Ragnarok já foi bom um dia, mas foi.), agora encontramos pessoas frustradas com suas vidas que descontam no jogo e tendem a ficar mais poderosas que as outras para poderem, penso, se afirmarem que são capazes de alguma coisa. Há muito foi esquecido o que é jogar por diversão, união e amizade.

Até hoje tenho contado com duas pessoas que conheci nesse jogo, duas pessoas que até hoje converso, brinco e tudo mais. O mais interessante é que essas pessoas são tão próximas atualmente que falo praticamente sobre tudo. E sabe há quanto tempo as conheço? Cinco anos.

Caramba! Tem pessoas que conheci na escola que nem falo mais!

Então pensei, porque não dar uma chance para uma sociedade online conhecida como second life? Afinal, nela não a competição, não a nada que possa fazer com que haja uma disputa boba e mesquinha. Mas depois de cinco minutos abandonei a ideia, porque?

Porque o ser humano fede. Fede, é uma criatura suja, burra e sem muito senso. Second Life aos meus olhos poderia ser uma comunidade produtiva, com mil e um tipos de uso, como reuniões, encontros com amigos a distancia, até mesmo alguns tipos de trabalhos virtuais, consultorias e o que mais você conseguir imaginar. Mas sabe qual é o principal uso hoje em dia?

Acertou quem disse Pornografia.

Imagine você, caminhando pelos mundos e cidades virtuais e se depara com essa cena:

Então você pensa, para que perder seu tempo em um lugar desses, sendo que você já tem uma vida? Foi aqui que larguei a ideia… Mas dando mais uma chance a esse pensamento, me lembro do que li uma vez em um manga:

“Contanto que você não atrapalhe a vida de outras pessoas, o que há de errado em ser anormal e experimentar umas coisas diferentes?”

Imagino as vezes que Second Life é interessante, as vezes penso que é um lixo, mas na maioria das vezes penso que é apenas desperdício de tempo e potencial. Atualmente a maioria dos mmorpgs são clones uns dos outros, com as mesma sociedade de moleques que ficam jogando aquilo o dia todo, sem ter assim, uma disposição para lutar irl (na vida real). É interessante pensarmos nisso de outro ponto de vista, de como nossa sociedade nos leva a buscar alternativas de poder fazer parte de alguma coisa, de outra sociedade, de outros mundos. Eu poderia até dar uma segunda chance para os chamados mmo, mas hoje em dia, sabendo que tipo de pessoas costumam usa-los, prefiro não. Fico com meus jogos off-line, fico com meus livros e minha vida aqui mesmo.

A não ser que façam um mmo bom de Phantasy Star, .Hack, Persona, tem esse Global agenda que parece que vai ser bom e…

4 pensamentos sobre “Sociedades virtuais, o que pensar delas?

  1. bom o post está muito bom, retrata realmente pontos que existem na internet, mas por outro lado, não acredito que isso seja generalizado, pois eu não sou fracaçado nem nada do tipo, =p gosto muito da minha vida faço minha facul, trabalho e tudo mais, e sempre quando posso jogo world of warcraft com meus amigos, é um jogo de total competição, mas tipo, vai de cada pessoa, eu levo o jogo apenas como uma forma de divertimento, tentei jogar second life mas nunca deu certo :$ , isso foi só uma idéia minha mesmo, mas continuo a elogiar o lado mostrado pelo post =)

    • Realmente, nem todo mundo ali é fracassado, mas muitas pessoas insistem em usar essa ferramenta como uma “segunda vida”, por fracassaram na primeira. Alguem me disse isso uma vez, mas não lembro quem ou quando… Existem pessoas que gostam do jogo e jogam por prazer, essas pessoas são legais de se conviver, de jogar com elas… Agora, as outras… Você que joga, você sabe. =D

      Abraços e obrigado pelo comentário.

  2. Bom eu jogo Second Life há 2 anos e tenho que concordar que muitas pessoas entram no jogo pra pornografia mesmo.Mas também existe pessoas que entram lá seja pra passar tempo ,conhecer coisas novas etc.Entrei no Second Life por uma amiga minha, achei divertido no inicio mas logo ele ficou sem graça.O problema é que tudo mudou quando re-encontrei uma grande amiga minha que fiz em Chicago *_*, retomamos o contato e hoje é uma otima ferramenta pra manter essa amizade!! E por meio dela conheci várias ferramenteas maneiras que inclusive dão dinheiro em rl, ou até para expor seu trabalho. Eu por exemplo ganho dinheiro em rl vendendo Lindens( dinheiro do SL ) – e olha que nãõ são poucos que compram-, e também faço shows-covers. É questão de saber usar.
    ;*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s