Sobreviver x Viver

É uma pena que esteja escrevendo com tanto sono, mas vamos lá, ao som de GoldFrapp…

O que ando vendo é uma revolução no pensar, pessoas que não aguentam mais sobreviver, não conseguem mais respirar e se alimentar, sem ter um motivo, sem ter nada mais, vivendo em uma eterna masturbação do que seria a vida de verdade.

Eis ai a grande diferença entre sobreviver, e viver, de verdade.

São textos, são desabafos, são pessoas de uma nova era, uma na qual não simplesmente cruzamos nossos braços de vivemos como animais que buscam apenas sua sobrevivência. De que adianta, caro leitor, sobrevivermos se nada fizemos aqui nessa terra? Que diferença teríamos de um cachorro de rua? De um animal na floresta? Ou meu exemplo preferido, de um peixe em um aquário?

O peixe é o melhor, é o que mais parecemos. Vivemos entre iguais, em um ambiente limitado, onde vemos a nós mesmos em todos os lugares, refletidos nas paredes do que seria o horizonte. Mas como o peixe, abrimos nossa boca sem falar nada, aproveitando o pouco de ar que nos resta.

Esse pensamento arcaico e fechado, essa mentalidade tosca e oprimida das pessoas está caindo à medida que uma nova geração surge, e não digo que será a minha.

É ótimo navegar na internet e ver pessoas diferentes pensando dessa mesma forma, oprimidos em nossa sociedade, reclamando do ser humano frio que se tornou uma maquina, um instrumento, ou para fazer jus ao titulo do post, um animal que sobrevive, digamos um abelha, que vive para uma rainha ou coisa similar.

Insetos… A que ponto chegamos a ser comparados? E com razão, o que é mais triste! Estamos sendo insetos com comportamento de colmeia, onde produzimos para uma entidade sem termos nada que realmente nos complete em troca. Temos apenas nossa sobrevivência, mas não temos o eu, não estamos SENDO. Esquecemos do ser.

Que Charles Chaplim me permita, estamos… Digo, nos tornamos, grande maioria, homens maquinas, com coração de maquina e mente de maquina.

Mas ai, quando eu acho que todos estão perdidos, quando eu finalmente desisto de procurar… Mais e mais, em vários cantos do mundo, de varias formas, usando a internet ou o que quer que seja, começam a se mostrar sensíveis ao que acontece, mostram suas faces e suas opiniões, gritam para que possam ser ouvidos e compreendidos, encontrar igual.

E o melhor, encontram. Estamos vivendo nessa era, estamos acordando. Seremos pais que terão filhos mais despertos ainda, para essa onda de vida da qual tantos simplesmente se excluem. Propagaremos essa inteligência, essa sabedoria. Conhecimento este que nos ajudará a encontramos nossas respostas, finalmente sanando nossas buscas, chegando ao ponto final, terminando com as interrogações que nos perseguem, quase eternamente, em nossas mentes que buscam o ser.

Seremos, então. Deixemos de pensar como uma manada, como formigas. Vamos subir no degrau, voltar a tomar nosso lugar, de seres humanos. Somos SERES, temos ciência. Vamos usa-la, não desperdiça-las em um cubículo de uma empresa ou em qualquer outro lugar.

Somos criadores, criamos tanta coisa, pensamentos que tomam forma. Tudo que existe hoje já foi primeiramente um pensamento.

É triste ver pessoas que simplesmente sobrevivem, em suas casas, em seus lares… Lutando por uma vida vazia, uma vida repleta do mais do mesmo diário que somos obrigados a aguentar para poder dar de comer a nossa família. Mas o que que custa, em um momento, em 10 minutos desse dia, que seja cinco, que seja no ônibus, se perguntar, imaginar, sonhar…

Ah, sonhar. Já dizia Einsten, muito mais vale a imaginação que o conhecimento. Sem imaginação, nada do que vemos a nossa volta teria forma, viveríamos em preto e branco, que horror!

Nossas cidades de puro concreto e vidro expressam bem essa ideia.

Como me entristece ver o pensamento de horda dos criminosos da favela do rio de janeiro, que chegaram ao ponto de dizer “Morre um, cria mais”. Vidas completamente descartáveis, a uso ainda de uma coisa estupida e sem sentido.

Chega! Tomemos uma atitude, vamos viver, de uma vez por todas. Vamos criar, vamos amar, vamos perder o medo do eu e ser como realmente somos!

“Você vê? Já começou…” –Akira, ultima frase do filme-

P.S: Muito sono para revisar o texto, seja o que Deus quiser.

2 pensamentos sobre “Sobreviver x Viver

  1. Talvez Einstein tenha afirmado que mais vale a imaginação do que o conhecimento porque esta é subjetiva e nos dá liberdade de criar… Já o conhecimento, por ser objetivamente acadêmico, nos aprisiona e nos tolhe a espontaneidade. Muito bom o seu texto!

  2. Esse tema dá uma discussão e tanto… O estresse, a pressão e o tempo estão fazendo com que a maioria das pessoas se torne mais cética, mais fria, mais distante. Respirar por respirar não tem tanta graça. Viver é uma arte!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s